MÊS DO QUADRINHO NACIONAL NO CEARÁ – 2013

Cartazes de divulgação do Mês do Quadrinho Nacional - Ceará 2013

Cartazes de divulgação do Mês do Quadrinho Nacional – Ceará 2013

Em 1º de janeiro de 1896 foi publicada a primeira História em Quadrinhos do Brasil, produzida pelo ítalo-brasileiro Angelo Agostini para a revista “o Malho”. Esta publicação inspirou a Associação Brasileira de Cartunistas a fundar o Dia do Quadrinho Nacional, celebrado hoje em todo o país. A comemoração é forte em estados como a Bahia que celebra janeiro como o Mês do Quadrinho Nacional tanto porque um dia é pouco para se explorar a riqueza que envolve o Quadrinho produzido no Brasil, tão rico de temas e fontes como a própria cultura brasileira.” – JJ Marreiro, em postagem no blog do Fórum de Quadrinhos do Ceará.

Desde 2010, a comunidade de quadrinhos do Ceará – sob a coordenação do FQCE – organiza o Dia do Quadrinho Nacional, evento onde artistas, editores, fãs e entusiastas dividem experiências, ideias e trabalhos sobre a nona arte. Tendo a Gibiteca de Fortaleza (Av. da Universidade, 2572, em frente a Casa Amarela Eusélio de Oliveira) como tradicional local para realização do evento, em 2013, depois de uma quase não realização, ele irá a sua 4ª edição acompanhado de eventos que acontecem durante todo mês de janeiro em outros municípios do estado e bairros da cidade, como Sobral, Limoeiro do Norte e Messejana.

“A verdade é que o DQN Fortaleza não iria acontecer. Com o fim da gestão dessa coordenação e cada um dos coordenadores cuidando de projetos próprios ou dando uma força para os eventos em outras cidades, estávamos sem verba e tempo para realização do DQN na capital”, afirma Luís Carlos Sousa, coordenador DQN gestão 2010-2013 e diretor do Cultura de Quadrinhos.

No entanto, como uma afirmação daquilo que o FQCE significa, pessoas fora da coordenação começaram conversas através da rede social Facebook e em menos de 30 minutos o formato do evento e suas principais atrações já tinham sido estabelecidas.

“Foi algo muito rápido. Uma vez as pessoas definindo funções dentro do evento, bem como a programação, foi só fechar a data. Fiquei muito contente pela atitude não ter saído da coordenação e mais ainda por ver quem estava se engajando para o evento: Macilio Oliveira, da Revista Digital Zinext, Zé Wellington que também organiza o evento em Sobral e Lederly, um artista muito respeitado que, dentre tantos trabalhos, fez uma das histórias do MSP +50. No mesmo dia, Kaléo Mendes, que foi convidado para desenhar o cartaz, já tinha entregue a arte. Foi um daqueles movimentos que começam com uma onda pequena, mas quando você menos espera surge uma grande – mas bem encaminhada – tsunami”, completa o ex-coordenador que ficará responsável pela Banca do Brasil e participará como palestrante no evento de Sobral.

Na nota do FQCE também há uma alusão ao projeto Capitão Rapadura 40 Anos, uma homenagem feita ao personagem criado por Mino, numa coletânea de vários artistas, aos moldes do MSP 50, mas com toda a cearensidade para se fazer jus ao personagem.

A importância de um evento como esse – e integrado dessa forma – reforça como tudo que as histórias em quadrinhos nacionais precisam é de união e colaboração conjunta, que quando o diálogo se torna aberto e as ideias são divididas as dificuldade de tempo e espaço se tornam oportunidades.