Por que Apneia?

Para os que não sabem, segundo o dicionário Aulete: (ap.nei.a) Med. sf. 1 Suspensão temporária da respiração. [F.: Do gr. ápnoia < gr. ápnous 'que respira com dificuldade', pelo fr. apnée.]

Segundo a deusa eletrônica-pagã Wikipédia:
Apneia do sono ou Apneia noturna (AO 1990: apneia) é a suspensão da respiração durante o sono. Estes episódios de apneia (do grego ápnoia, falta de respiração) podem durar alguns segundos, após os quais é retomada a respiração normal, e ocorrem várias vezes durante o sono. Na maior parte das vezes não são suficientes para despertar a pessoa, mas há uma alteração no padrão de sono, passando do sono profundo para um sono mais superficial. Como este sono não é repousante, as manifestações típicas são uma sensação de “noite mal passada” ao despertar, assim como fadiga e sonolência durante o dia.

Resumindo, é uma condição que não me deixa respirar e, por sua vez, dormir adequadamente, assim eu fico sempre no limiar entre o que é realidade e o que é sono, entre o que poderia ter acontecido e o que realmente aconteceu, fico naquele espaço que em um quadrinho é chamado de “sarjeta” ou de “in between” em uma animação.

Mesmo sendo um tipo de condição desagradável, tudo isso me dá acesso a uma parte mais criativa do meu cérebro. Parte essa que muitas vezes se perde no espaço de uma noite para outra, mas que reaparece em meus dias como sendo uma semirrealidade. É esse pedaço que flutua no meu cérebro como uma nuvem carregada de água, granizo e flocos de neve em meio que divido agora com vocês, neste blog que vai de Z a A por um caminho desconhecido, sem passar por todas as letras, mesmo usando todas elas.

Por isso a Apneia no título.

Este é meu último “post-prólogo“, depois dele iniciarei os posts normais, possivelmente atualizados semanalmente ou quinzenalmente – mas não vou me ater a datas, usei isso em outros momentos e deu tudo errado. Àqueles que querem acompanhar, vão saber que há atualizações quando me seguirem no twitter ou em outros lugares.

Chega de números “0”, depois deste vem o número “1” e assim o caminho segue.

Anúncios

Por que roteiroZ?

No estudo de fonética e fonologia, o “s” no final de palavras precedido de vogal precedida de consoante e seguido de vogal costuma ter esse som, o de “Z”. Assim, como esse blog é muito do que eu escrevo e falo o que escrevo, decidi que seria assim com “Z”. Bem como o “Z” costuma ser a letra usada para definir, nos quadrinhos, quando um personagem dorme.

Não entendeu a do personagem dormindo? Espere o próximo post deste blog em construção.